ZEZÉ, O PORTUGA E O PÉ DE LARANJA LIMA

ZEZÉ, O PORTUGA E O PÉ DE LARANJA LIMA

Comemorando 50 anos de publicação, a obra O meu pé de laranja lima, de José Mauro de Vasconcelos, teve mais de 150 edições no Brasil, 2 milhões de cópias vendidas, além de ter sido traduzida para dezenas de línguas e receber adaptações para o cinema e para a televisão.

A história aborda temas complexos, como morte, pobreza, fome e violência. Zezé, um menino pobre de cinco anos de idade, tem uma grande amizade com Portuga e usa a criatividade e a imaginação para criar um mundo próprio e fugir da violência que sofria em sua casa: o pé de laranja lima é um dos elementos desse mundo.

Por que é um clássico?

Para o professor e doutor em Linguística João Rodrigues Pinto, alguns aspectos fazem com que seja uma obra universal, entre eles o fato de unir a ludicidade infantil de forma simples e tocante. Além disso, também apresenta uma narrativa memoralística que une elementos dramáticos sem perder o tom da fantasia. Outro fator é por abordar “um pouco da história de centenas de brasileiros que viveram o encanto e o desencanto na infância”.

Principais temas abordados?

A infância; o olhar do mundo através da criança; as descobertas do real versus a presença dos sonhos e a violência doméstica estão entre os assuntos que a obra discorre.

A obra é uma autobiografia?

Para João Rodrigues não se trata de uma obra autobiográfica e, sim, de um romance elaborado através das memórias do autor. “Embora seja uma obra que aborda a sua infância e seus principais momentos, trata-se de uma narrativa que mescla ficção e realidade, embora o leitor não consiga identificar onde começa um e termina o outro.”
Já para Jhony Skeika, que é doutor em Estudos Literários, é possível dizer que é um livro com conteúdo autobiográfico. “A obra é narrada em primeira pessoa, quando Zezé/José (talvez um alter ego do próprio José Mauro de Vasconcelos), aos 48 anos (a mesma idade do escritor ao publicar a obra), conta alguns acontecimentos da sua infância, uma espécie de desabafo”, expõe.

É um livro para crianças?

Embora esteja classificada como literatura infanto-juvenil, Jhony Skeika observa que a história tem muito a dizer aos adultos, que são convidados a acompanhar o dia a dia de uma criança. “A narrativa sensibiliza não apenas porque traduz a incompreensão que os adultos têm em relação ao mundo das crianças, mas também porque acompanhamos Zezé durante as intempéries da sua vida e, com ele, pelo seu foco narrativo de olhar infantil, sofremos os mesmos dramas.”

SOBRE O AUTOR

José Mauro de Vasconcelos nasceu no Rio de janeiro em 1920 e morreu em São Paulo em 1984. Foi artista plástico, fez cinema e televisão e ficou conhecido por sua produção literária. Foi um dos primeiros escritores a usar como cenário o rio Araguaia, Goiás e os costumes indígenas da região. Suas obras, na maioria romances, ficaram marcadas por trazerem finais inesperados e trágicos.

LEIA

O MEU PÉ DE LARANJA LIMA
Melhoramentos