QUANDO OS DINOSSAUROS DOMINARAM O CINEMA

QUANDO OS DINOSSAUROS DOMINARAM O CINEMA

Há 25 anos, estreava no cinema um filme que marcou a infância de muita gente: Jurassic Park – O parque dos dinossauros (1993) trouxe à vida os seres que povoam a imaginação de crianças e adultos com maestria de efeitos especiais, em um enredo envolvente e plausível.

O crítico de cinema Marden Machado (www.cinemarden.com. br) explica que o filme foi o ponto inicial da revolução digital no cinema. “Apesar de a tecnologia já existir por quase dez anos, foi em Jurassic Park que ela foi utilizada de maneira plenamente convincente e, a partir daí, não houve mais limite algum para que histórias, por mais fantásticas que fossem, pudessem ser contadas nas telas do mundo.”

Apesar da tecnologia da criação de imagens por computador ter sido utilizada, foi necessária a experiência e visão de Steven Spielberg para que o mundo idealizado para a produção tomasse forma, já que ela era cara e limitada. “Spielberg e sua equipe foram bastante criativos e fizeram uso de outras técnicas de efeitos especiais que foram plenamente integradas à nova tecnologia”, comenta Marden.

Além de efeitos especiais inéditos na época e que impressionam até hoje, o filme apresenta uma história interessante com um desenvolvimento plausível. Quantas crianças não saíram do cinema realmente acreditando que era possível usar DNA fossilizado para trazer dinossauros de volta à vida?

“Steven Spielberg conseguiu criar um suspense lúdico, envolvente e cheio de discussões a partir do romance de Michael Crichton (que também escreveu Westworld em 1973) e por isso o filme é tão lembrado até hoje”, opina Felipe Sclengmann, editor do portal de cinema Quadro Por Quadro (www. quadroporquadro.com.br). Para ele, mais do que dinossauros ganhan do vida, o longa une emoções extremas, um roteiro bem amarrado, elenco de peso e cenas memoráveis: “quem consegue esquecer do copo d’água que vibra com os passos retumbantes do T-Rex que se aproxima?”.

Quando estreou, em 1993, Jurassic Park - O parque dos dinossauros surpreendeu pelos efeitos especiais

Quando estreou, em 1993, Jurassic Park – O parque dos dinossauros surpreendeu pelos efeitos especiais

Para Marden, um dos grandes destaques de Jurassic Park foi unir harmonicamente a tecnologia moderna para criar dinossauros digitais perfeitos com efeitos práticos utilizados há mais de 50 anos na história do cinema.

QUASE EM EXTINÇÃO

Depois do sucesso, Jurassic Park ganhou duas sequências que não tiveram a mesma aceitação. O mundo perdido – Jurassic Park (1997 – também foi dirigido por Spielberg) e Jurassic Park 3 não impactaram tanto o público quanto o primeiro filme. “Talvez o principal problema dessas duas continuações tenha sido o fato de não terem um roteiro tão bom quanto o original e também terem perdido o impacto da novidade provocada pelo primeiro”, considera Marden.

Sclengmann concorda que a grande falha está na falta de uma história consistente para sustentar o argumento das sequências. “Ambas as continuações pecam ao focar demais nos efeitos especiais e deixar de lado o desenvolvimento dos seus personagens.”

Porém, em 2015, o filme Jurassic World conseguiu reviver a franquia, em partes pela nostalgia e saudade do tema, mas também por valorizar a história e criação dos personagens. “A continuação de 2015 foi feita para os fãs do original. O filme reverencia cenas, se utiliza de temas e locações do primeiro filme e ainda dá espaço para um elenco sensacional brilhar (que o diga Chris Pratt, o Senhor das Estrelas, de Guardiões da Galáxia)”, comenta Sclengmann.

Para alegria dos fãs de dinossauros, a franquia ganhou mais uma sequência Jurassic World: Reino ameaçado, que chegou aos cinemas no mês de junho deste ano.

Jurassic World
Jurassic World

No lançamento, os personagens entram em uma missão para salvar os dinossauros – os mesmos do parque que foi fechado no filme anterior – de uma tragédia natural que, possivelmente, os levará a uma nova extinção, porém há outros interesses em jogo.

São mais de duas horas de ação intensa no filme, que conta também com a participação de Jeff Golblum, presente na história original. Ele é Ian Malcolm, autor da famosa frase “a vida encontra um meio”, e continua com um olhar crítico sobre os animais que voltaram à vida pela mão do homem.

LEVE PARA CASA

Para colecionar, curtir uma nostalgia ou mesmo se preparar para assistir ao novo filme, conheça o box comemorativo de 25 anos de Jurassic Park, contendo os 4 filmes: Jurassic Park, O mundo perdido – Jurassic Park, Jurassic Park III e Jurassic World: O mundos dos dinossauros.

BLU-RAY JURASSIC PARK – COLEÇÃO 25º ANIVERSÁRIO EDIÇÃO ESPECIAL STEELBOOK (4 BDS) – Universal Pictures